SERVIÇO


Já estamos na penúltima linguagem do amor. Hoje o tema é SERVIÇO.

Se você tem acompanhado as postagens e acha que valeu a pena usar poucos minutos do seu dia para entender e mudar a forma de educar, queremos te pedir para convidar amigas para conhecer, acompanhar e se cadastrar no blog! É totalmente gratuito e estamos fazendo com muito carinho para vocês.


E para reforçar que estes conteúdos têm sido feitos pensando em você queremos que você deixe sua opinião do que podemos melhorar! E Mais! Deixe nos comentários qual tema relacionado à mulheres, filhos ou bem-estar gostaria que abordaremos quando finalizarmos as 5 linguagens do amor.


Então, bora lá entender como a linguagem SERVIÇO pode encher o tanque de amor do (s) seu (s) filho (s)?


Todas as vezes que dou palestra sobre as 5 linguagens do amor, e começo a falar do SERVIÇO logo vem os comentários- “ Então vou ter que ser escrava?”- De certa forma sim, mas não no sentido pejorativo histórico. Mas sim, estamos sempre em serviço. Temos que servir para ensinar nossos filhos a servir, também. Quando você escolheu ser mãe (ou mesmo se não escolheu) veio junto um pacote de serviço 24 horas. A criança não tem hora para ter febre, ou ficar com dor de barriga, para ter fome e por aí vai. As crianças pequenas exigem mais, os maiores vão exigir um pouco menos.


Uma coisa que a minha mãe sempre falava é que ”serviço que a gente deixa sem fazer é que os outros reparam”. Quando o serviço está feito, ninguém percebe. Se o almoço está feito, ninguém percebe que é uma demonstração de amor e carinho sua para a família, que você investiu seu tempo (lembra da linguagem de qualidade de tempo?) Mas veja que tem que ser feito realmente com carinho e não por obrigação.

Fazer por obrigação deixa as tarefas muito pesadas, né, porque não são poucas. Então se deve ser feito, fazer com amor. Eu não gosto de cozinhar, mas se tenho que fazer, então vou fazer com carinho, do jeito que dos que vão comer gostam.


O que estamos falando aqui, é que devemos fazer com carinho e FALAR que foi feito da forma como a família gosta. É pontuar o que foi feito para eles e assim eles perceberem que na realização do serviço eles foram lembrados e então se sintam amados.


Por exemplo: Aqui em casa meu filho não gosta de tomate. Mas meu marido sim. Então, quando faço o bife acebolado com tomate, já separo sem para meu filho e DIGO - “ mamãe fez com tanto carinho até tirei o tomate que você não gosta”- Percebe?


Mas é importante uma coisa aqui!!!!!!

DIZER é diferente de COBRAR. Se faz de forma a cobrar, não enchemos o tanque emocional dos nossos filhos. Não estaremos demonstrando afeto.


Precisamos mostrar para nossos filhos que SERVIR faz parte do nosso dia-a-dia. Não vivemos isolados de modo que não vamos precisar dos serviços do outro. Precisamos ser servidos e SERVIR. Então, precisamos ensinar a servir. Servir de coração. Se ele te pede um favor e você faz emburrado, não está ensinando seu filho a servir.


É claro que hoje em dia todos tem que ajudar, cooperar em casa. Então você pode pontuar isso -”eu limpei a casa para todo mundo. Como eu gosto de encher vocês de carinho” Se você não pontuar parece que é uma obrigação da mãe (não vou discutir se é ou não), mas é fato que todos temos responsabilidade de algumas tarefas, seja do cuidado da casa, da criança ou do sustento. Então quando você diz que fez é que é sua demonstração de carinho, a criança percebe também que é amada porque você a está servindo.


Imagina você chegando em casa cansada e os filhos pedem brigadeiro. Qual forma você pode demonstrar carinho? Você diz “ ok, então vamos fazer juntos?” Por que neste momento tem a qualidade de tempo e o serviço como combustível para o tanque emocional do seu filho.


Tem uma frase que gosto bastante: “Quem não nasceu para servir, não serve para viver”. E como é bom perceber que o serviço é feito com carinho.


A parte do serviço fazemos sempre e podemos usar isso para demonstrar como amamos as pessoas. Sem cobrança. O amor é um verbo de ação! Conseguiu perceber isso com as linguagens do amor que já falamos por aqui? É agir, demonstrar amor. Você faz o serviço e diz - fiz isso porque sei que vai te ajudar- ou- sei que você precisava dessa roupa, por isso passei para você.

Mas de longe percebo, há mais de 20 anos conversando, aprendendo, e exercitando as linguagens do amor, que o serviço e o presente (a próxima linguagem do amor ), são as linguagens menos frequentes como as principais linguagens do amor. Mas vale a pena. Todos nós falamos as 5 linguagens mas temos prioridade por algumas. Então você servir com alegria, de bom coração, com carinho também vai colaborar para encher o tanque de amor do seu filho, que como as outras linguagens, vai diminuir o mau comportamento pois seu filho não precisa mais gritar pela sua atenção!


O que acha? Faz sentido?


Se quiser, deixe seu comentário, dúvidas e sugestões.

Te incentivamos a se inscrever no blog. TOTALMENTE gratuito.

Compartilhe e nos ajude a chegar em mais pais que poderão encher o tanque emocional dos seus filhos com o combustível certo. O amor.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo