Educando com Amor. Parte I

Atualizado: 3 de abr. de 2021

JÁ ENCHEU O TANQUE (DE AMOR) DO SEU FILHO?

Antes de falarmos das 5 linguagens do amor você precisa saber algumas coisas antes. Cada pessoa tem uma linguagem do amor. Ou seja, cada pessoa sente-se amada de um jeito, que são as 5 linguagens do amor. Chega de suspense e vamos logo falando quais são elas: toque físico, qualidade de tempo, presentes, palavras de afirmação e serviço. A nossa ideia é falar em cada Conversa MIMOsa de cada uma. Mas antes precisamos entender uma coisa. Estas cinco linguagens servirão para encher o TANQUE dos nossos filhos. Mas veja que isso também acontece com a gente. Mas como assim encher o tanque dos nossos filhos? O autor do livro nos compara a tanques de gasolina ou a caixa d'água da nossa casa. Todos nós somos como um tanque ou caixa d'água. Estes funcionam mesmo não estando cheias ou completas. MAS NÓS NÃO!!!!!. Só “ funcionamos” com o TANQUE CHEIO. Então COMO ENCHEMOS O TANQUE DAS EMOÇÕES DOS NOSSOS FILHOS? Uma coisa muito importante é deixar claro que estas 5 linguagens que vão encher o tanque são medidas preventivas do mal comportamento. Elas não são uma estratégia para serem usadas quando está acontecendo o mal comportamento, seja a birra, ou a porta que bate (como os adolescentes “gostam” tanto de fazer). Em outro momento, falaremos de como agir nesses momentos.

Então temos que encher o tanque para prevenir o mal comportamento. Mas não podemos encher com qualquer coisa. Temos que encher com as 5 linguagens do amor. Estas linguagens do amor são como falar inglês, francês, italiano, etc. Posso falar com você uma língua que você não entende, posso estar dizendo coisas ótimas, até te elogiando mas você não está entendendo. Então temos que entender qual é a linguagem que nossos filhos se sentem amados. Não significa que os pais não amem seus filhos. Não é isso. Mas o que acontece é que em muitos momentos o filho NÃO SE SENTE amado. A gente costuma dizer: “eu faço tudo para este menino”. E fazemos mesmo. Mas será que fazemos do jeito que ele vai se sentir amado? Então quando sabemos qual é a PRINCIPAL linguagem que o filho se sente amado, a gente vai enchendo o tanque. Pessoas com tanque cheio, vão bem. Então o mal comportamento diminui. O mal comportamento é um GRITO DE SOCORRO.

Percebo isso com meus filhos (um adulto e outro adolescente) que quando vira as costas enquanto eu estou falando, bate a porta e por ai vai, logo penso o que eu estou deixando de fazer para este tanque da criança estar vazio? Perceba que é uma mudança de visão. A responsabilidade do mau comportamento não é mais só da criança mas também nossa como responsáveis/educadores. Ou seja, o que nós estamos deixando de fazer para essa criança. Veja, todos nós precisamos de atenção, de sentir amados. Pense que muitas pessoas ficam em relacionamentos abusivos porque não querem se sentir rejeitadas, não abandonadas. Quando a criança se sente amada, a aprovação dos pais, avós etc para a criança é muito importante, então ela busca não desaprovar os adultos e ela não tem esta necessidade porque o tanque está cheio. Ela não precisa gritar por socorro, ela não precisa “ “gritar” dizendo que não é amada. Neste caso, temos que gastar tempo corrigindo. É como o exemplo do leite que está fervendo e derrama. Quanto mais você deixar no fogo, mais vai derramar e você vai perder. Resumindo, quanto mais você ignora o jeito que seu filho se sente amado mais você vai perder...Ao contrário, quando enchemos o tanque emocional, prevenimos que o leite derrame, entende? Mas não temos como ficar o dia todo ao lado dos nossos filhos para encher esse tanque. Temos nossos afazeres, trabalho que nos exige também nossa atenção. E é bom que seja assim. Não é saudável que toda nossa atenção seja sempre dos nossos filhos. Nossos filhos não podem ser a nossa única fonte de satisfação/prazer. Então temos que ter equilíbrio. Mas não podemos deixar de encher o tanque, quando temos a oportunidade, porque senão o mal comportamento vem mesmo. Então temos que ficar atentos. E encher o tanque pode ser em pequenas coisas como parar de mexer no celular e olhar para o olhinho da criança, ou chegar em casa e dar um abraço (vamos falar mais de como fazer em outros posts). Não é ficar neuróticas (os) e ficar o dia todo atrás da criança para encher o tanque. Nunca vamos suprir todas as necessidades, é impossível. Mas o alvo é que a criança se sinta amada. Lembra? Não significa que ela não é, mas ela tem que se PERCEBER amada. Claro que amamos nossos filhos, mas é importante que a forma como demonstramos o amor a criança consiga perceber que é amada. Ter a certeza de que são amadas. E aí, o mal comportamento diminui muito. Veja, mais uma vez aqui reforça que é uma estratégia preventiva. Nos próximos posts falaremos de cada uma das 5 linguagens do amor. E aí você vai usar o seu tempo e atenção de uma maneira mais produtiva, e você não vai precisar mais ficar limpando a sujeira do leite derramado. Te encontramos no próximo post.

Se gostou, deixe seu comentário!








4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo